RSS

Arquivos mensais: Janeiro 2009

UMA AVENTURA 2009

Está aí de novo o Concurso ”Uma Aventura” promovido anualmente pela editora Caminho.
Há, como sempre, a possibilidade de concorrer em várias modalidades que vão do desenho, passando pela crítica, pela prosa até à “Olimpíada da História”.

A este concurso podem concorrer alunos até aos 18 anos, de todos os ciclos, e a data limite para o envio dos trabalhos é de 16 de Fevereiro de 2009.
Os livros do concurso, regulamento e fichas de inscrição estão à tua disposição, em destaque, na tua biblioteca Escolar

CONCORRE!

Anúncios
 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 19 de Janeiro de 2009 em Concursos, Destaque, PNL

 

QUERO MAIS ainda os xutos

Quero Mais
Xutos & Pontapés
Composição: Zé Leonel

E dizes tu que és meu amigo
Que me dás tudo o que eu tenho preciso
Eu quero mais, Quero muito mais

E dizes tu que és meu patrão

Tenho muita sorte em não dormir no chão
É o que tu dizes, é o que tu dizes

E vens tu mais a tua tropa

E eu só tenho a minha manta rota
E já sei que vou levar com a moca
Por tentar abrir a boca
Mas comigo é sempre assim
Eu sei lutar até ao fim
É tudo ou nada
 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 14 de Janeiro de 2009 em Poesia

 

XUTOS – DESAFIO

Vamos fazer uma homenagem a esta banda de rock portuguesa.
Vamos todos construir um placard sobre os Xutos e Pontapés.
Traz o que puderes
FOTOS e IMAGENS,
LETRAS DE CANÇÕES,
CURIOSIDADES,
ESPECTÁCULOS,
NOTÍCIAS,
BIOGRAFIA(S),
A TUA OPINIÃO
SITES INTERNET
TRAZ COMENTÁRIOS DA FAMÍLIA e de AMIGOS
Se és fã da banda, melhor! Se não a conheces muito bem aqui está uma oportunidade a não perder.
Vá MÃOS À OBRA! estamos à tua espera.
 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 14 de Janeiro de 2009 em Bib. Escolar, Desafio, Poesia

 

30 ANOS A CANTAR XUTOS

Os Xutos & Pontapés celebraram esta terça-feira, 13 de Janeiro de 2009, 30 anos de carreira. Foi a 13 de Janeiro de 1979 que os Xutos deram o seu primeiro concerto oficial. O concerto foi na sala dos Alunos de Apolo e em 10 minutos despacharam cinco temas, bem ao estilo punk rock praticado pelo quarteto na altura.
O legado deixado pela banda ao longo de três décadas de canções juntou vários colegas de profissão que se juntaram à festa dos 30 anos no Pavilhão Atlântico. Dos Moonspell aos Da Weasel, passando pelos Tara Perdida e Armando Teixeira, vários foram os músicos que fizeram questão de marcar presença na festa e cantar os parabéns à banda.
“O primeiro concerto de rock a que assisti, tinha eu 14 anos, foi dos Xutos & Pontapés”, contou Ricardo Amorim, guitarrista dos Moonspell.
Mas nem só de nostalgia se fez a celebração dos 30 anos dos Xutos & Pontapés. A banda aproveitou a oportunidade para anunciar oficialmente o concerto no Estádio do Restelo a 26 de Setembro. Os bilhetes já estão à venda nos locais habituais e o espectáculo promete ser uma das maiores produções dos Xutos, pelo menos a avaliar pelas dimensões e desenho do palco a montar no estádio do Belenenses.
Até lá, os fãs irão receber um presente no final do mês de Março, altura em que o novo álbum chegará às lojas. Ainda sem título, o 12º disco de estúdio dos Xutos & Pontapés é apresentado através do single “Quem é Quem” e de temas como “Tetris Anónimos”, “O Santo e a Senha” e “Um Perfeito Vazio”, todos eles tocados ao vivo no Pavilhão de Portugal.
 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 14 de Janeiro de 2009 em Desafio, Destaque, Efemérides

 

VAMOS CANTAR AS JANEIRAS

Ocorrem em Janeiro, no primeiro mês do ano. Este mês era o mês do deus Jano, o deus das portas e da entrada. Era o porteiro dos Céus e por isso muito importante para os romanos que esperavam a sua protecção. Era-lhe pedido que afastasse das casas os espiritos maus, sendo especialmente invocado no mês de Janeiro.Era tradição que os romanos se saudassem em sua honra no começar de um novo ano e daí derivam as Janeiras.

wikipedia


Vamos cantar as janeiras

Vamos cantar as janeiras

Por esses quintais adentro vamos

Às raparigas solteiras

Vamos cantar orvalhadas

Vamos cantar orvalhadas

Por esses quintais adentro vamos

Às raparigas casadas

Vira o vento e muda a sorte

Vira o vento e muda a sorte

Por aqueles olivais perdidos

Foi-se embora o vento norte

Muita neve cai na serra

Muita neve cai na serra

Só se lembra dos caminhos velhos

Quem tem saudades da terra

Quem tem a candeia acesa

Quem tem a candeia acesa

Rabanadas pão e vinho novo

Matava a fome à pobrezaJ

á nos cansa esta lonjura

Já nos cansa esta lonjura

Só se lembra dos caminhos velhos

Quem anda à noite à ventura

Vamos cantar as janeiras

Vamos cantar as janeiras

Por esses quintais adentro vamos

Às raparigas solteiras

Vamos cantar orvalhadas

Vamos cantar orvalhadas

Por esses quintais adentro vamos

Às raparigas casadas

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 6 de Janeiro de 2009 em Efemérides, Poesia popular